segunda-feira, 18 de abril de 2011

Não aconteceu, mas gostaríamos que tivesse acontecido

A PRIMEIRA CARTA OCIDENTAL DAS CIDADES DAS SERENATAS

Prevê-se que esteja concluída e pronta para assinatura em Setembro de 2011 a primeira Carta das Cidades das Serenatas, que numa primeira fase colocará em rede a Cidade de Coimbra (Portugal), a Cidade de Conservatória (Brasil) e a Cidade de Nápoles (Itália).

O projecto contempla um conjunto de parcerias estratégicas em campos como o turismo, as artes tradicionais, programas de investigação entre as universidades de Coimbra, Frederico II di Napoli e Federal do Rio de Janeiro, a federação de municípios, a circulação de investigadores e grupos musicais, a reedição de fontes (sonoras, música impressa, iconográficas, orais) e a sua disponibilização em rede, a dinamização de estruturas museológicas virtuais e a promoção anual de encontros de tocadores, cantores e estudiosos.

Trata-se de um projecto muito ambicioso, cuja primeira fase será concretizada entre 2011-2015, que envolve a assinatura de protocolos, a concepção e validação de um programa conjunto, a revalorização dos centros históricos numa perspectiva ecológica-sonora, a partilha democrática de saberes e de fontes até agora inacessíveis, o respeito pelas especificidades de cada uma das três paisagens sonoras envolvidas e a dinamização de iniciativas formativo-educativas sob o alto patrocínio da Unesco.

O Ministério da Cultura da República Portuguesa apoiará o projecto com uma verba de 500.000 euros, cabendo as restantes fatias aos governos regionais onde se inscrevem as outras duas cidades parceiras.

Convocados pela Universidade de Coimbra e pelo Município de Coimbra, os mecenas da Região Centro mostraram desde o primeiro momento a sua disponibilidade e entusiasmo, confirmando aliás o elevado sentido cívico que já patentearam em iniciativas culturais semelhantes levadas a cabo nos últimos vinte anos.

Da parte dos investigadores do quadro da Universidade de Coimbra, que sempre consideram a Canção de Coimbra como objecto cientificamente digno, os sinais de adesão deixam antever a produção de um trabalho pautado por níveis de excelência.

Segundo o porta-voz da legação napolitana que hoje esteve reunido em Coimbra, o programa previsto para Setembro promete. São consensuais entre as partes signatárias:
-um congresso internacional sobre serenatas e cultura serenateira em Portugal, Brasil e Itália, que contará com os contributos dos mais reputados especialistas universitários dos três países nas áreas da etnomusicologia, sociologia e história;
-uma aula prática numa oficina de construção de cordofones com registo videográfico de testemunhos alavancados nas artes tradicionais de violaria;
-a produção de um disco conjunto onde cada uma das três cidades envolvidas poderá registar até cinco faixas de composições que melhor documentam as respectivas identidades sonoras;
-uma noite integralmente dedicada ao desfile de formações vocais e instrumentais no centro histórico de Coimbra com presença de formações oriundas do Brasil, Coimbra e Napóles.

Em 2016, no final do primeiro ciclo, prevê-se que esteja em pleno funcionamento a Rede Museal das Cidades das Serenatas e editados os volumes de actas de todos os encontros anuais, que se tenha procedido ao estudo e reedição de 30% dos reportórios e fontes dos séculos XIX e XX, que se tenham dinamizado níveis mínimos comuns de iniciativas culturais e escolares e que se tenham discutido e editado pelo menos três teses académicas sobre a paisagem sonora de cada uma das três cidades parceiras.

Podia ser verdade? Mas não é! Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência!

António M. Nunes
18Abril2011

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial